LP​/​K7 (OUT SOON)

by URUTU

/
1.
2.
3.
03:24
4.
5.
02:58
6.
7.
02:22
8.
9.
01:52
10.
02:48
11.
02:41

credits

released August 5, 2016

Gravado em 2015 e Mixado em 2016, por Bernardo Pacheco no Estúdio Fabrica de Sonhos.
Masterizado por Dan Randall no Mammoth Sound Mastering em Julho de 2016.
Arte: Bianca Ardanuy


Recorded in 2015 and Mixed in 2016 at Estúdio Fábrica de Sonhos by Bernardo Pacheco.
Mastering by Dan Randall in july 2016 at Mammoth Sound Mastering.
Artwork: Bianca Ardanuy

tags

license

all rights reserved

about

URUTU São Paulo, Brazil

Urutu is a band from São Paulo, formed by people coming from hardcore/punk/metal, with the intention of making punk music influenced by an infinity of obscure heavy metal bands, particularly from the NWOBHM.

contact / help

Contact URUTU

Streaming and
Download help

Track Name: Braços da Morte
Você me entrega aos braços da morte
Aplicar a pena! "Morte aos Condenados"
Você julga! Denúncia paga, vizinhos fofoqueiros e um racista!

Então minha noite começa, eu queimando em uma fogueira

Sua mão ergue a direita.
Eu queimo na estaca!
Seu zelo não pertence a nós!

Não tenho sua fé.
Não tenho alma.

Não existe salvação onde estamos
O teu desejo é a riqueza
Track Name: Casa Adormecida
Casa Adormecida

Sento na cama pensando
Tudo é silêncio
Na casa adormecida
O luar penetra pela janela

Tudo é silêncio
Na casa adormecida
Tudo é silêncio

Derrama / Pelo ambiente / A claridade

Tudo é silêncio
Na casa adormecida
Tudo é silêncio

O Deus que nunca ouvi falar
Deus de misericórdia

Vejo pessoas distantes de mim
Cerimônias que sou obrigado a assistir

Tudo é silêncio
Na casa adormecida
Tudo é silêncio

Levantar / O ar vivo
Golpeia meu rosto
Tudo é silêncio
Na casa adormecida
Tudo é silêncio
Track Name: Fronteira
Nos confins dos territórios
a esperança é miragem
de um novo mundo que virá

Nos limites do humano
língua, cor, diferença
justificam a subjugação

Mais que traços em um mapa
Mais que muros e arames

Parte do processo civilizador
O Horror, O Horror

Nos confins da floresta
serras sobre a madeira
grilhões sobre o trabalhador

Nos limites do progresso
contra qualquer resistência
o jagunço, o matador
Onde a vida não tem valor

A morte as vezes tem seu preço

Mais que traços em um mapa
Mais que muros e arames

Nos confins da floresta
serras sobre a madeira
grilhões sobre o trabalhador
Track Name: Cabeça Motor
Cabeça Motor

Com os zumbidos dos motores a trilha sonora pra ida
Sem volta sonhamos com casas estranhas
Comodos e incomodos por cada parte

Ansiosos e famintos
Vivemos entre as grades

Susurrando com as paredes
O freio nos desperta

Sem a minima vontade de acordar
O motor é desligado

Ouvimos os passos ao som da chuva
A impressão que vivemos em um sonho

Sentimos nosso calor ir embora
Será que estamos prontos para uma próxima parada

O motor é desligado

Talvez a vida seja rigida demais...
Talvez a vida seja rigida demais no escuro do quarto
Track Name: Sob o Sol
Encontramos todos os dias um jeito de marchar
Impulsionando o andar adiante
Tentamos todo dia mudar

Pegue minha mão caminhar sob o sol
Todo dia amar-se
Todo dia unir-se

Desejos e conflitos a cada sombra nos cantos da sala
Enquanto a luz não é acessa deixe tudo rolar

Sofrendo estamos nos enganando
Pegue minha mão vamos caminhar

Não caminhe atrás de mim
Não caminhe na minha frente
Não posso te guiar
Não posso te guiar

Pegue minha mão caminhar sob o sol
Todo dia amar-se
Todo dia unir-se
Track Name: Aço nos Punhos
Fracassam em cuidar
Educar e Alimentar
Criam depósitos atrás de muros
para que não possamos ver

A cada semana mais 40 cabeças nas bandejas

Pressão por justiça
Mas o desejo é de vingança

Aço nos punhos
Tinta nos dedos

A cada semana mais 40 cabeças nas bandejas

Escondidos atrás de telas
Capturam e torturam

Fracassam em cuidar
Educar e Alimentar
Criam depósitos atrás de muros
para que não possamos ver

A cada semana mais 40 cabeças nas bandejas
Track Name: Ceifador
Ceifador

Desde o dia que quebrou as correntes
A palavra de ordem correu todos os becos
Percorreu os canaviais e cativeiros

O senhor perdeu o pescoço ao ceifador

Degolados pedem por compaixão
Não merecem nada além do desprezo
A história não cala diante das sombras

Desde o dia que quebrou as correntes
A palavra de ordem correu por todos os becos
Percorreu os canaviais e cativeiros

Ferro e fogo
Adeus a você
Ferro e fogo
Adeus a você
Track Name: Na Porta da sua Casa
Me perder em seus olhos, me encontrar no seu sorriso
Esqueço o passado para encontrar em nosso presente
E assim tento te encontrar todos os dias
Parado e inerte na porta da sua casa

Alimento a ilusão
Alimento...

Nossas classes diferentes criam barreiras
A cor que não agrada
Os olhos que não enxergam
Em noites assim penso em você aos meus braços

Alimento a ilusão
Alimento...

Agora estou aqui ao chão à sua espera
Agora estou aqui...

A voz, o corpo e seus olhos infinitos
Esta é a última dor
Esta é a última dor
Este é o último verso que te escrevo

Alimento a ilusão
Alimento...
Track Name: Deus Morto
Apenas raiva nada mais
Como se move sem razão?
A humanidade acabou
Imagem e semelhança de deus

Se olhe no espelho
Não se reconheça

Apenas raiva nada mais
Como se move sem razão?
A humanidade acabou
Imagem e semelhança de deus

A humanidade acabou
Imagem e semelhança de deus

Se olhe no espelho
Não se reconheça

Imagem e semelhança de deus
Imagem e semelhança de deus
Imagem e semelhança de deus
Imagem e semelhança de deus
Track Name: Beijo Veneno
Beijo Veneno

Escrever Canções em salas fechadas
Com Calor Infernal
Nas calçadas os pés da gente
O mau cheiro do subterraneos
As ruas com ar febril

Tarde da Noite, a canção de odio foi composta
O ritmo selvagem, centenas de vozes

Ao som de passos em marcha
Atendendo o rufar dos tambores

Quando os bandos tomam as ruas
Arriscando os pescoços

Escrever Canções em salas fechadas
Com Calor Infernal
Nas calçadas os pés da gente
O mau cheiro do subterraneos
As ruas com ar febril

Quando os bandos tomam as ruas
Arriscando os pescoços
Track Name: Tradição
Reprimido, paralisado
Assim você nos trava
Estamos prontos
Estamos prontos
Para a exploração

O bom, o dócil, submisso e resignado
O bom, o dócil, submisso e resignado

Nosso sexo, perseguido, sufocado
Suas tradições inibem nosso prazer

O bom, o dócil, submisso e resignado
O bom, o dócil, submisso e resignado

Mulheres e Homens fazendo tudo sempre igual